Nessas ultimas semanas andei desenvolvendo um projeto que tinha em mente, algo sobre cozinhar preocupando-se com o bem estar das pessoas e do planeta. Então comecei a pesquisar alternativas para substituir a essência de baunilha e corantes artificiais nas preparações de doces, e pesquisando sobre isso descobri algumas informações que gostaria de compartilhar por aqui.

A primeira me deixou bastante preocupada, todo mundo já ouviu falar pelo menos alguma vez, como os corantes e conservantes artificiais fazem mal a nossa saúde. Pois aqui vai um nome para você ficar de olho nos rótulos dos alimentos: Tartrazina, ou Amarelo nº5.

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) Estudos realizados nos Estados Unidos e na Europa desde a década de 70 demonstraram casos de reações alérgicas ao corante amarelo tartrazina (INS 102), como asma, bronquite, rinite, náusea, broncoespasmos, urticária, eczema e dor de cabeça, e 3,8% da população nos Estados Unidos possuem sensibilidade ao corante. Desde 1980 é exigido (para drogas de uso oral) e 1981 (para alimentos), que o corante tartrazina seja listado no rótulo de todos os produtos que o contenham, de modo que os consumidores sensíveis possam evitá-lo. – Não só os sensíveis né? Acho que todos deveriam evitar, a fim de que esse tipo de corante não seja mais utilizado no mercado.

Segundo nome para guardar: dióxido de titânio. Geralmente presente em corantes brancos, sobre esse químico não consegui muitas informações, mas segundo essa reportagem da Folha (Clique aqui para ver) estudos ligam o dióxido de titânio a danos no cérebro, leiam na integra é assustador!

Sobre a essência de baunilha: descobri uma receita supimpa para fazer extrato da baunilha natural em casa, mas vou testar, depois conto por aqui!

Então pessoas, comecem a ler o rótulo dos ingredientes que vocês adquirem no supermercado, e vamos estudar formas de substituir esses químicos nas preparações.. principalmente os profissionais da área de gastronomia. Grandes mercados públicos estão cheios de corantes naturais (do urucum, beterraba, cenoura, algas, etc.) e existe sempre a possibilidade de fazermos nossas próprias essências, extratos, e até mesmo os saborizantes, evitando assim usar substancias artificiais nas nossas preparações. Nossa saúde agradece. E se alguém também tem sugestões para compartilhar, por favor, contribua nos comentários!

Anúncios